Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

motivao sonhos grandes mudam o mundo 20 638

Na nossa vida profissional, o resultado final de um projeto ou de uma tarefa depende, não apenas de nós, mas de quem trabalha connosco. A falta de empenho de um funcionário pode comprometer o esforço de toda a equipa.

É precisamente neste momento que, mesmo sem ser chefe de equipa, o poder da influência vai fazer toda a diferença. O problema é que muitas pessoas, na tentativa de influenciar os seus “pares”, acabam por cometer erros que têm o efeito contrário ao que se pretende, criando ainda mais conflitos profissionais.

A título de exemplo, muitas pessoas há que fazem isto:

1.  Usar poder inexistente – Esta é uma tática comum para influenciar uma pessoa: usar o nome de alguém que tem mais poder do que elas próprias. Neste caso, não é a pessoa que está a pedir, por exemplo um Relatório, mas sim o chefe, o diretor, o presidente… ou seja, aquele que é temido por todos! Isto vai acabar por dar mau resultado pois o seu “par”, apercebendo-se do que está a acontecer, acaba por fazer o mesmo e usar o nome de alguém que tem ainda mais poder: o Gerente, por exemplo!

2.  Não ter objetivo na comunicação – Por exemplo, a pessoa aborda o tema e não deixa bem claro qual é a importância da atividade. Há que fazer ajustes na maneira como abordamos o tema para que todos entendam. Da mesma forma, dizer que tudo é urgente, tudo é prioritário na tentativa de forçar o rápido empenho de todos pode ter o efeito oposto: objetivos e prioridades têm de ser bem definidos e a distinção entre o que seria ideal conseguir e o que é absolutamente necessário conseguir também.

3.  Encarar o outro como inimigo – Se o atraso no trabalho de uma pessoa prejudica o resultado de toda a equipa, não será difícil considera-la como “inimiga”. Imagine-se que essa pessoa não tem qualquer obrigação de colaborar com a equipa ou com o que a equipa precisa mas, mesmo assim, a equipa precisa dela para cumprir o seu objetivo.

Inimigo eu mesmo

Assim, mais vale ver essa tal pessoa como um potencial aliado do que como um inimigo pois vê-la de uma forma negativa é o caminho mais rápido para criar conflitos e há que evitá-los!

4.  Empatia Zero – Não levar em conta os interesses, a motivação e as possíveis reações dos seus “pares” compromete o nosso poder de influência e cria um clima de desconfiança. A necessidade de influenciar alguém tem de passar pela compreensão da “maneira de ser” dos que vamos ou queremos influenciar.

5.  Não cuidar da própria reputação – Como poderemos “cobrar” atitudes dos outros quando as nossas não são adequadas? Nunca atender às necessidades dos nossos “pares”, ficarmos de mau humor quando um colega nos pede uma informação ou nos faz uma pergunta são comportamentos que conduzem ao isolamento, portanto são comportamentos a evitar.

6.  Não investir no relacionamento interpessoal – Todos nós sabemos que o egoísmo é contrário ao relacionamento com os outros. Quando usamos um estilo de comunicação sem pensar nas preferências da outra pessoa, estamos a cometer um tremendo erro: não desenvolvemos um comportamento colaborativo e criamos inseguranças e resistências dentro da nossa equipa de trabalho.

Estejamos, pois, sempre atentos a estes "erros" para não os cometermos e, assim, não nos prejudicarmos nem prejudicarmos os nossos "Parceiros"!

Temos 39 visitantes e 0 membros em linha